Inverno – O pet necessita de cuidados redobrados4 min para ler

Especialistas dão dicas para proteger cães e gatos na estação mais fria do ano e prevenir doenças relacionadas ao Inverno.

O frio está chegando e é preciso saber o que explicar no balcão da pet shop ou até mesmo o veterinário ressaltar que os pets precisam de atenção e cuidados redobrados. Devido à queda da temperatura e a diminuição da umidade do ar, é nesse período que muitos cães e gatos podem sofrer com doenças relacionadas ao Inverno como, por exemplo, a gripe canina para os cães e rinotraqueíte felina para os gatos: ambas são doenças respiratórias.

De acordo com Caroline Mouco Moretti, médica-veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular, as vacinas são importantíssimas para manter o animal saudável durante o ano todo e principalmente no Inverno.

Evitar passeios nos dias muito frios e banhos muitos frequentes principalmente nos animais mais idosos é importantíssimo. “O ideal é passear com os cães em horários que estejam mais quentes, entre 11h e 15h, por exemplo”, explica a veterinária.

Na hora de dormir, é importante que o tutor deixe o cantinho do seu animal bem aquecido. “A dica é colocar um cobertor ou colchão para ele dormir, evitando contato direto com o chão”, ensina a especialista. A médica-veterinária destaca ainda que, com o frio, os pets bebem menos água e correm risco de ficar desidratados, por isso aconselha aos donos que coloquem mais potes de água pela casa, facilitando assim a hidratação deles.

Para os animais que possuem pelos ralos ou curtos e que estão acostumados com tecidos, a roupinha é uma boa opção para mantê-los aquecidos. “Caso opte por roupas, dê preferência a peças com as quais o seu cão esteja acostumado e se sinta livre para brincar e fazer suas necessidades”, ressalta Caroline.

Já os animais que possuem pelos grandes e longos, segundo a médica-veterinária, é preciso que o tutor tome muito cuidado com roupas, já que para esse tipo de pet o tecido pode atrapalhar ao invés de ajudar. “O animal com pelos longos que utiliza roupa desenvolve nós, que não secam direito no banho, gerando fungos e bactérias, causando inclusive uma dermatite”. Caroline reforça ainda que, caso os nós ocorram, o cachorro deverá ser tosado, o que o deixará mais exposto ao frio.

Além do cuidado especial no Inverno, os animais de estimação merecem atenção redobrada durante o ano todo, já que os cães e gatos estão suscetíveis a uma gama muito grande de doenças infecciosas virais, bacterianas, parasitárias, autoimunes e as doenças adquiridas. Segundo a diretora clínica do Grupo Vet Popular, algumas delas são chamadas de zoonoses, doenças que são transmitidas para o homem através dos animais como leptospirose, toxoplasmose, dipilidiose, raiva, salmonelose e dermatomicoses. “Para evitarmos que nossos cães e gatos não tenham doenças que possam ser transmitidas a nós e nossos familiares, temos que manter a vacinação, vermifugação, antipulga, anticarrapaticida e as visitas ao médico-veterinário em dia”, ressalta.

De acordo com a médica-veterinária da Esalpet, Jueli Berger, os animais que mais sentem frio são os cães com pelagem curta, entre eles os Pinschers, Dachshund (Linguicinha ou Cofap) e Chihuahuas; e os cães que possuem pelos longos, mas que são tosados com lâmina baixa. “Como todos nós, os animais sofrem um pouco com a queda de temperaturas. Quanto menos pelos ele tiver, maior é a chance de que ele tenha algumas dificuldades para enfrentar essa fase do ano.

Por esse motivo, os donos devem ficar muito atentos para garantir a saúde dos animais”, explica. Para completar, a médica-veterinária Jueli Berger sugere que se explique para os donos de cães e gatos que disponibilizem uma alimentação balanceada, baseada em rações de boa qualidade. “O clima mais frio não exige uma mudança na alimentação dos animais, pois eles tendem a comer um pouco mais se acharem necessário. O que eu sempre falo para os donos é que os cães e gatos devem receber alimentos com qualidade comprovada. Isso vale para qualquer estação do ano”, completa a especialista.

Jorge Morais, veterinário e fundador da rede Animal Place ressalta que, embora algumas raças de cães como Husky Siberiano, Samoieda, São Bernardo, Terra Nova e Chow Chow sejam mais adaptados ao clima frio e suportem bem o Inverno, é preciso ficar alerta. As doenças caninas mais comuns nesse período, lembra o veterinário, são viroses como cinomose, parainfluenza, bordetella (tosse dos canis) e rinotraqueíte infecciosa.

É preciso enfatizar com os tutores que devem ficar atentos a sintomas como tosse, espirros, aumento da temperatura, corrimento ocular e secreção nasal. Na ocorrência de algum desses sinais, devem procurar um veterinário para os devidos cuidados. “A prevenção para essas doenças, além dos cuidados específicos para essa época, pode ser feita com a aplicação de vacinas. A vacinação deve ser feita principalmente para a gripe nos cães, a tosse dos canis, e a rinotraqueíte infecciosa nos felinos”, conclui Morais.

 

 

Comentários
Carregando...