Planejamento estratégico pessoal em 5 passos4 min para ler

Aquilo que você escreve tem 60% a 70% mais chances de se concretizar.

O planejamento estratégico pessoal, também conhecido como PEP, parte da lógica do planejamento empresarial, mas trazendo para o indivíduo. O PEP traz como princípio a importância de planejar e ser protagonista desse planejamento. Estatísticas apontam que aquilo que você escreve tem 60% a 70% mais chances de se concretizar. Este exercício, essa disciplina de pensar, gera um fenômeno no seu cérebro que acaba orientando suas ações.

O primeiro passo do PEP está relacionado aos valores, pois no momento que você os viola a possibilidade de conseguir sucesso será muito menor, já que seus objetivos não serão atingidos com facilidade. Então o primeiro passo é definir os valores que norteiam seu comportamento, suas crenças, eles irão embasar sua vida no seu empreendimento por muito tempo.

Segundo passo é sobre a missão pessoal, o seu propósito na vida. É uma jornada ligada ao autoconhecimento. É necessário ir se aperfeiçoando para ter clareza sobre o seu propósito. É necessário ir atrás do seu dom. E, para ajudar nessa tarefa nada fácil, você pode utilizar um método antigo e fácil que é anotar as coisas que você gosta em um círculo. Em outro, as que você faz muito bem e, em um terceiro círculo, os que as pessoas estão dispostas a pagar para você fazer. A intercepção desses círculos vai lhe trazer uma ideia do seu dom. O ideal seria ter essa resposta para melhorar o autoconhecimento, mas se você tiver dificuldade em se descobrir, não tem problema, pode continuar o planejamento e em outro momento isso irá vir à tona.

O terceiro passo é o networking, que é a sua rede de contatos. Nós aprendemos muito com as pessoas e o networking se trata de dar e receber, não deve ser uma via única de interesse. É um exercício no qual você vai listar pessoas que lhe inspiram, que você vai seguir. Ninguém cresce sozinho, portanto essas pessoas que você listar é porque aquilo que elas falam geram algum tipo de valor para você. Esses indivíduos você pode ir mudando ao longo do tempo, pode ser desde um escritor famoso, até algum professor que falou ou fez algo que promoveu alguma diferença em sua vida ou na forma de pensar.

O quarto passo do PEP é a análise de SWOT, que é um método utilizado por todas as empresas do mundo na formulação de suas estratégias. SWOT é uma sigla em inglês que significa forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. É uma análise do ambiente interno, daquilo que tenho controle e do ambiente externo, aquilo que não tenho controle porém tenho que saber de uma empresa. Os pontos fortes e fracos fazem parte do ambiente interno, onde ele tem que olhar para si e listar aquilo que ele e outras pessoas também veem como pontos fortes, como capacidade de realização, relacionamento, entrega, etc., e enxergar também os pontos fracos, ou seja, aquilo que não sou bom. É necessário que o processo seja levado a sério, nem superestimando nem subestimando a si, procurar pessoas próximas e ouvir o feedback delas sobre essas forças e fraquezas também valem a pena na construção desse planejamento. Depois listar os externos, aquilo que você não tem controle sobre, mas que é preciso se preparar para o que vai vir. O que tem de oportunidade no mercado, novas tecnologias, segurança, qualidade de vida, oportunidades no meio ambiente por exemplo. E como ameaças listar, por exemplo, a violência, falta de segurança, condições econômicas e políticas do país, que são ameaças inerentes ao indivíduo.

O quinto e último passo é o plano de ação que vai trabalhar sobre duas dimensões, a primeira que vai tratar sobre a parte pessoal, profissional e o financeiro, e a segunda dimensão é o tempo em que deve ser organizado suas metas traçadas em 1, 3, 10 e 30 anos. O primeiro ano deve ser bem detalhado, pois você tem capacidade para construir as coisas. As ações de longo prazo não precisam ser tão detalhadas, já que não são coisas imediatas e você deve ir alimentando com o tempo, mas devem ser escritas pensando em atingir o máximo potencial que existe em você. É importante monitorar essas ações ao longo do tempo, para que possa ir ajustando ao seu contexto.

Lembre-se que as soluções mudam, o tempo muda, você muda, portanto mantenha sempre essas metas atualizadas e celebre aquelas que você já conquistou, pois é isso que dá um sentido e força nas novas ações.

Karina Costa – Marketing Veterinário – Agromarketing – www.karinacosta.com

Prof. Dr. Marco Antonio Gioso – FMVZ-USP www.usp.br/locfmvz

 

 

 

Comentários
Carregando...
Novo Assinante