O que é EBITDA?2 min para ler

“Earning before interest tax, depreciation and amortization” (=Lajida).

EBITDA é um termo contábil em inglês usado para analisar a lucratividade da empresa, para fins, em geral, de compra e venda de empresas. Suponha uma empresa que fatura por ano 1 milhão de reais, brutos. Ela tem de lucro 120 mil, líquidos. Esta empresa é 100% regularizada, ou seja, emite notas fiscais, registra toda equipe, todos os veterinários, pagam os impostos. Sim, existem várias clínicas que agem assim hoje em dia; e a cada dia elas crescem. Ela tem 12% de lucro, o que é considerado médio. Nos EUA, onde os números são bem mais conhecidos, o lucro gira entre 12% e 18%; excelentes empresas conseguem acima de 20%.

O EBITDA desta empresa é de 160 mil. Ou seja, antes de pagar os juros, impostos, depreciação e amortização, ela tem este “lucro operacional” (entre aspas, pois não é exatamente lucro operacional, mas quase). Em geral, mas não sempre, o EBITDA é maior que o lucro real líquido; permite ver os ganhos operacionais, o que de fato a empresa “faz” de dinheiro. Por isto é usado como variável na decisão de compra ou venda, como um múltiplo deste valor.

No caso desta empresa houve uma oferta de compra de cinco vezes o valor do EBITDA, isto é, 5 X 160 mil, ou seja: 800 mil. Este é o caso em Medicina Veterinária, em geral de 2 a 10 vezes o EBITDA. Se oferecerá menos, se houver problemas: falta de regularização, legislação, passivos trabalhistas (nem todos registrados), equipamentos antigos, edifício necessitando reforma. Se pagará mais, se há forte concorrência na compra, vários interessados, nome forte (“branding”), altíssima reputação.

Sugiro que você converse com ótimos contadores, homens de negócio, e, em especial, pessoas que lidam com “valuation” (colocação de preço na empresa). O que mais percebi nestes anos de estudos de contabilidade e economia é que 90% dos que dizem entender de EBITDA, EBIT, lucro operacional, ativo, equity, patrimônio, liability, etc. pouco sabem. É complexo, mas não confuso. Basta um pouco de estudos pela internet e “voilá”. Em pouco tempo você dominará o assunto. E o melhor: conseguirá ter elementos concretos para gerenciar sua empresa e saber o quanto ela vale e ter base fundamentalista para negociá-la, se for o caso. Sei que veterinários, alguns, odeiam números e de falar de sua clínica como um “negócio”, pois sentem isto como algo frio. Compreendo e aceito. Não é com estes a quem escrevo, mas aos que têm algum interesse comercial na sua própria empresa e também porque para os próximos anos este tipo de negociação se tornará frequente.

Prof. Dr. Marco Antonio Gioso – FMVZ-USP – www.usp.br/locfmvz

 

 

 

Comentários
Carregando...