Estudo aponta os principais produtos e serviços pet impactados pela pandemia

Principal procura atual tem sido de produtos para alimentação e higiene.

Uma pesquisa da Comac encomendada ao Instituto Qualibest de Pesquisas de Mercado divulgou um estudo sobre os impactos do coronavírus no mercado pet. Os dados ajudam a identificar se há e quais as mudanças de hábitos do consumidor em tempos de quarentena. Para a maioria dos respondentes (77%), não houve alteração no consumo de produtos pet durante o período da pesquisa (de 6 a 10 de abril de 2020).

Vale ressaltar que a alimentação (pet food) representa cerca de 70% do mercado pet, o que pode explicar a percepção de que não houve mudança no consumo, uma vez que a alimentação com os pets não varia. Já 22% dos respondentes referem ter ocorrido aumento no consumo de produtos para pets, dentre os quais, 82% se refere à alimentação, seguido pelos itens para higiene, com 55%. Apesar de ter havido um aumento das compras on-line, a maioria dos respondentes (91%) ainda realiza as compras em lojas físicas, sejam pet shops ou supermercados.

A pesquisa foi feita em parceria com a Comac (Comissão de Animais de Companhia) para identificar quais categorias de produtos ou serviços têm sofrido com a crise. Dentre eles,
o serviço de banho e tosa foi o que teve menos procura: 58% dos tutores afirmam ter diminuído este consumo.

O Dr. Leonardo Brandão, médico-veterinário e coordenador da Comac (Comissão de Animais de Companhia), afirma: “O cuidado com a saúde dos pets é fundamental, ainda mais em tempos de isolamento social. Temos de nos lembrar que nossos pets precisam não apenas de alimentação, mas também que nos certifiquemos de que os cuidados básicos, como o controle de ectoparasitos, as vacinas e o uso de vermífugos estejam em dia. Vale lembrar também que devemos ter uma atenção especial a brinquedos que possam ajudar a minimizar o ‘tédio’ dos pets, ajudando-os a passar por esse período menos estressados e interagindo.”

Um dos motivos que explica a falta de procura por algumas categorias do mercado pet é a falta de divulgação dos estabelecimentos sobre as mudanças no modelo de atendimento aos animais. De acordo com o estudo da Qualibest, 61% das pessoas não receberam nenhuma mensagem ou aviso das adaptações realizadas pelos estabelecimentos (clínicas e pet shops) para atender aos pets neste momento.

A transmissão do coronavírus acontece de uma pessoa doente para outra através do toque ou aperto de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato com objetos ou superfícies contaminadas, além de contato com a boca, nariz ou olhos. Uma recomendação para as pet shops ou clínicas evitarem ser pontos de contaminação é ter rigor nos cuidados de higienização dos ambientes, além de estabelecer um limite de quantidade de pessoas dentro do local para evitar aglomerações.

 

Sobre a Comissão de Animais de Companhia

A Comac (Comissão de Animais de Companhia) do Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), criada em 2007, visa cuidar de um dos mais importantes e crescentes segmentos da indústria veterinária brasileira e mundial, o mercado de cães e gatos. Sua missão é executar ações que estimulem o desenvolvimento do mercado pet brasileiro, principalmente das áreas ligadas à saúde animal.

 

Comentários
Carregando...