Empresas Pet – 2016… 7

Mais um ano entrando em sua reta final!

Esse, aliás, ainda bem que está acabando porque foi muito duro conosco. Muitas empresas fecharam, infelizmente, outras estão em situação delicada e outras tantas conseguiram passar sem muitos estragos pela crise.

Uma boa oportunidade para refletir sobre as ações e planejamento que você tem feito para a sua empresa. Já escrevi várias vezes sobre a importância e necessidade de se planejar, de se criar um cenário, metas e rumos para trabalhar com foco e disciplina.

Dessa vez seguirei outro caminho para falar do mesmo tema. Quantas empresas nos mais diversos segmentos você observou que mudaram sua forma de atuação, produtos, flexibilizou condições de pagamento, inseriu novas linhas, enfim, usou os mais variados meios para sobreviver ao terremoto que assolou nossa economia?

Num exercício de observação interessante você notará a criatividade e a determinação de muita gente que ainda está firme e de pé, apesar de ter “os joelhos ralados”. Algumas empresas do segmento pet fecharam também e posso dizer que alguns casos não foram vítimas da crise, apenas tiveram sua situação acelerada pelo cenário.[userpro_private]

Num passado recente, vi abrir uma loja que oferecia descontos agressivos nas rações e ainda dava banho grátis para os clientes desses produtos, como “promoção de inauguração”. Uma coisa horrenda, vamos combinar!

O fato é que o ilustre criador dessa abordagem comercial tem vários colegas de turma, gente que não sabe fazer conta e cai no buraco muito mais rápido do que pode imaginar.

As contas… ah essa bendita matemática que aporrinha a vida de muita gente que teima em não saber mais sobre o assunto. Ninguém de fato é obrigado a aprender, mas, sejamos francos, como pode um empresário não dar atenção aos números que o cercam?

É algo surreal na minha opinião e também faço questão de ressaltar que também costumo dizer que se não quer aprender, precisa arrumar quem faça para você. Regra básica da vida. Fez almoço? Não?? Se está no horário, precisa comprar algo que alguém preparou para comer.

Entretanto, essa analogia simples não ocorre quando diversos empresários desse bendito segmento pensam no assunto gestão. Preferem naufragar do que buscar ferramentas e saídas adequadas, uma tristeza.

Na parte que me toca, já cheguei a ouvir de mais um empresário que achava uma derrota ter que pedir a minha ajuda. Cruel perder dinheiro mas contratar um profissional para ajudar é pior??!  Sem comentários.

Pois bem, aproveite o balanço gigante que tivemos na economia e estude, busque meios de tornar sua empresa mais saudável, sólida e rentável. Crie seu plano de trabalho para o próximo ano, de acordo com o seu negócio, sem ficar copiando o que os outros estão fazendo apenas por copiar.

Sem dúvida que é inteligente adotar as boas práticas, mas, entre copiar e saber o que está fazendo, tem uma grande diferença. Avalie quanto a sua empresa cresceu, em quais itens, qual a margem bruta média dos produtos, dos serviços, qual a produtividade do pessoal, metas de vendas e demais análises fundamentais ao negócio.

No mesmo embalo, reveja a política de remuneração do pessoal, repense as metas de vendas, as comissões pagas, os preços praticados, faça um pente fino em toda a empresa e não deixe escapar nada.

Para 2017 vale muito a pena criar uma agenda de treinamentos para você e sua equipe nos mais variados temas. Ter um grupo bem formado faz toda a diferença e traz um retorno financeiro bem interessante.

Você concorda que os produtos estão cada vez mais parecidos, de maneira geral? Se sua resposta é positiva, mais um sinal que precisa investir em treinamento. O que mais poderia fazer a diferença nesse universo de produtos parecidos?

Não perca de vista que os seus clientes precisam sempre de novidades e de informação principalmente. Vender sem poder informar sobre o produto não colabora na rentabilidade, é venda reativa.

Quando a equipe está preparada, tudo flui de maneira fantástica e as vendas tendem a seguir um caminho previsto, ou seja, se você quiser converter vendas para itens mais rentáveis, esse é o caminho das pedras.

A regra é simples: os produtos não pulam das prateleiras no colo dos clientes, portanto, ou você trabalha a venda ou será refém eterno do que as pessoas querem comprar. E, para reforçar, pode ser que elas estejam comprando determinado item porque ninguém nunca explicou ou mostrou outras opções e suas peculiaridades.

Capriche na lição de casa para que o próximo ano seja muito bom. Um abraço e bons negócios![/userpro_private]

Jefferson Braga é fundador da PetCon$ult, coach e consultor sênior com formação em Administração e Pós-graduações em Administração Financeira e Controladoria. Ministra palestras, treinamentos e coaching pelo Brasil, atuando desde 2000 como consultor do segmento.

jefferson@petconsult.com.br – www.petconsult.com.br – facebook (PetConsult Consultoria)

Comentários
Carregando...