O médico-veterinário na sociedade do 3º milênio2 min para ler

A Medicina Veterinária conta hoje com alta biotecnologia e anda passo a passo com a Medicina Humana.

A Medicina Veterinária, profissão criada no Brasil em 1918 e regulamentada em 9 de setembro de 1933, é hoje uma das mais importantes profissões no Brasil e no mundo. Está inserida em um contexto bastante amplo que abrange, além da prevenção e cura das afecções das diversas espécies animais, a produção e inspeção de alimentos, a defesa sanitária animal, saúde pública, ensino técnico e superior, pesquisa, extensão rural e preservação ambiental e ecológica.

Normalmente somos vistos pelos leigos como o “médico dos bichinhos”. A clínica médica e cirúrgica de animais é hoje uma das inúmeras atribuições que esse profissional possui. Também é uma das mais importantes, até por estabelecer uma agradável empatia com a sociedade, mas não deixa de ser uma atividade sanitarista.

A cura dos animais tem seu início junto com as civilizações mais antigas. Dizem as lendas que o Centurião Quirão, um ser metade homem e metade cavalo que é considerado Deus da Medicina Veterinária, foi quem levou seus conhecimentos a Esculápio, antecessor de Hipócrates.

Hoje a atividade da Medicina Veterinária conta com alta biotecnologia e anda passo a passo com a Medicina Humana.

A produção animal no Brasil é um dos segmentos mais importantes e o médico-veterinário contribui para a produção de proteína animal, fonte alimentar e de qualidade para o mercado interno e externo. Hoje somos o maior exportador de carne no mundo.

A Medicina Veterinária se coloca como sentinela avançada da saúde pública. Estabelecemos a profilaxia das doenças de animais transmissíveis ao homem, as chamadas zoonoses. Seria impossível detalhar todo o trabalho e ações do médico-veterinário em prol da sociedade. Temos de dar valor ao nosso trabalho: valor na indústria, na veterinária preventiva, na cirurgia veterinária, na saúde pública, na produção de alimentos, na clínica veterinária, no frigorífico, no campo, na pesquisa e extensão e, por fim, na geração de riquezas.

Mas, a despeito de todas as dificuldades que se enfrenta, o médico-veterinário se prepara para o 3º milênio com tecnologia, ética e, sobretudo, preocupado com o futuro. O estudo continuado e a dedicação permanente certamente contribuirão para uma Medicina Veterinária melhor e o verdadeiro reconhecimento da importância da profissão no dia a dia do homem no século XXI.

Francis Magno Flosi é professor, médico-veterinário, acadêmico da Academia Campineira de Letras, Ciências e Artes das Forças Armadas, diretor-presidente do Grupo Qualittas e presidente da ABVET (Associação Brasileira de Veterinários Especialistas).

Comentários
Carregando...