Os cuidados com os filhotes de aves em cativeiro2 min para ler

Como não se encantar com a possibilidade de um pet que canta, brinca e até mesmo reproduzir a fala humana.

Devido a isso o mercado de aves como animais de estimação cresce diariamente. A melhor maneira de garantir que essa ave seja mansa e que a interação com seus tutores proporcione diversão a todos é criá-la desde filhote. Cada espécie de ave exige cuidados distintos, portanto buscar informações a respeito da espécie é a escolha mais responsável a se fazer.

Quando optamos por adquirir uma ave filhote devemos reconhecer suas necessidades, desde uma alimentação balanceada, ambiente adequado e possíveis contactantes. A alimentação é um quesito muito delicado, devemos usar uma papa comercial específica para a espécie, no entanto somente isso não é suficiente, devemos respeitar a frequência e volume oferecido de alimento a essa ave. Garantir uma nutrição balanceada desde o início do desenvolvimento da ave diminui as chances do surgimento de alterações de saúde relacionadas à dieta, como deficiências de minerais e vitaminas. Um exemplo importante é a má formação do esqueleto das aves que recebem alimentos pobres em cálcio. A temperatura da papa também é um fator relevante, ela deve ser aquecida, porém não podemos correr o risco de aquecê-la excessivamente para não gerarmos queimaduras no trato digestório do nosso filhote.

O ambiente que nosso filhote será mantido também requer cuidados específicos, a temperatura deve ser agradável, sendo às vezes necessário fornecermos uma fonte de calor para o filhote, dependendo do seu estágio de desenvolvimento. O local deve ser calmo e evitar contato com outros animais nessa etapa da vida do filhote de ave.

Filhotes de aves que apresentam quadros de diarreia ou se recusam a aceitar o alimento devem receber cuidados de um veterinário especialista, para investigar a causa do problema e evitar quadros de desidratação, colocando a vida do filhote em risco.

O contato com outros animais é uma questão importante, ainda mais quando falamos de outras aves que já vivem no mesmo domicílio que o filhote. Realizar uma avaliação com seu médico-veterinário, antes de aproximar os animais recém-chegados na casa, evita a introdução de parasitas e agentes infecciosos nesse ambiente.

 

Julia Maria Ribeiro é médica-veterinária graduada pela Unesp de Jaboticabal, especialista em Medicina de Animais Selvagens pela Unesp de Jaboticabal e atualmente integra corpo clínico da Clínica Veterinária SOS Animal em Barretos-SP.

 

 

Comentários
Carregando...