Outono / Inverno 2019: O que está em alta na estação

Criatividade e ousadia são os grandes marcos da moda outono/inverno 2019. Beleza e funcionalidade ditam o que será vendido em cada estação.

Parece chamada de matéria de moda em revista feminina, mas não é. Assim como o mercado dos tutores, os pets acompanham a moda em seus looks da estação.

A tendência da moda pet para a temporada outono/inverno 2019 mostra que os cães mais paparicados pelos seus donos irão desfilar por aí com camisas e vestidos com estampa de onça e zebra, mais conhecida como animal print, anos 60, sporty chic, além do tradicional xadrez. Essa é a principal aposta para os dias frios, época do ano em que as vendas de roupa para animais de estimação ficam aquecidas.

De acordo com Cristiano Ribeiro, gerente de comercial da Petz, “é na temporada fria do ano que as vendas de camas, casas, mantas e roupas aumentam consideravelmente. Mantas e cobertores são os itens que mais vendem, porém os casacos e moletons são campeões de venda”, revela Ribeiro.

Para não dar nó nos pelos, roupa de cachorro precisa ter forro com algum tecido que não provoque atrito. O náilon e o cetim são os mais usados para forrar as peças. Por fora, predominam malha, flanela, algodão e, agora o queridinho do momento, o moletom.

“Os casacos e moletons continuam com tudo, em alta nessa temporada, porém, estamos com a linha supernova na Petz com a marca Snoop”, destaca Cristiano.

As roupas são importantes para os bichinhos e indispensáveis nos meses mais frios. Além disso, a cada ano, os modelos e as tendências se atualizam com um design mais interessante e atraente. Existem inúmeros modelos, camisetas de time, moletons (com capuz e tudo!), capas de chuva impermeáveis, saias, vestidos, calças e até mesmo fantasias, bem diversificados, atende a todos os gostos.

Por outro lado, nenhum detalhe do seu “outfit” pode machucar ou incomodar. Alguns animais chegam a ficar estáticos, completamente parados, sem andar, se sua roupinha estiver o incomodando.

Afinal, pet elegante é aquele que está lindo e ao mesmo tempo livre. O mercado de animais de estimação brasileiro tem apresentado um potencial cada vez maior nos últimos anos. O país tem a segunda maior população de cães e gatos do mundo. Trata-se do segundo maior mercado, atrás apenas dos Estados Unidos.

Assim também a criação de negócios em torno do mercado de animais de estimação é uma tendência que tem crescido nos últimos anos. De joias a perfumes para cães e gatos, há de tudo um pouco nas vitrines das lojas especializadas. Algumas das melhores oportunidades para novos empreendimentos estão, por exemplo, na área de confecção.

Segundo relatório da Euromonitor divulgado recentemente, a mudança no estilo de vida da sociedade tem impacto direto nestes resultados. “O tratamento do animal como membro da família impulsiona o crescimento do mercado em volume e, de forma mais acelerada, em faturamento à medida que os consumidores elegem produtos premium e investem mais na saúde e bem-estar do animal”, explica Caroline Kurzwell, analista da Euromonitor.

Para atender esta demanda estão surgindo fábricas de roupas para cães e gatos que estão ditando tendências fashion para esse novo segmento da moda. Quanto às estampas, o que está nos cabides das pet shops pode muito bem coincidir com as lojas de moda feminina.

Em 2018, o setor movimentou mais de R$ 20 bilhões, 9,8% a mais que em 2017. Com isso, o Brasil se tornou o segundo maior mercado global de produtos pet, com 6,4% de participação, ultrapassando o Reino Unido (6,1%) pela primeira vez. Em primeiro lugar estão os Estados Unidos, com 50%.

O mercado brasileiro de produtos para animais de estimação continua mostrando seu fôlego, mesmo frente à crise financeira do país nos últimos anos. A crise veio e todos os empresários e investidores que apostaram no mercado não sofreram os mesmos impactos de outras frentes de varejo e podem assim a cada ano criar novidades e acompanhar as tendências do mercado convencional.

 

 

Comentários
Carregando...