Instituto Pet Brasil divulga dados: Felinos têm maior crescimento

Os bichanos têm mais de 8% de crescimento no acumulado, desde 2013. Estudo revela também quais regiões e Estados concentram maior número de pets por espécie.

O Instituto Pet Brasil divulga dados atualizados sobre a população de animais de estimação em todo o território nacional.

De acordo com números levantados pelo IBGE e atualizados pela inteligência comercial do Instituto Pet Brasil, em 2018 foram contabilizados no país 54,2 milhões de cães; 39,8 milhões de aves; 23,9 milhões de gatos; 19,1 milhões de peixes e 2,3 milhões de répteis e pequenos mamíferos. A estimativa total chega a 139,3 milhões de animais de estimação. Em 2013, a população pet no Brasil era de cerca de 132,4 milhões de animais, últimos dados disponíveis quando a consulta foi feita pelo IBGE.

O destaque vai para o crescimento de casas que escolhem o gato como animal de estimação. No acumulado, esse foi o animal que mais cresceu, com alta de 8,1% desde 2013. Em seguida, os pets que acumularam maior crescimento nos lares brasileiros foram os peixes com 6,1%. Répteis e pequenos mamíferos registraram alta de 5,7%; aves, 5% e cães, crescimento de 3,8% em sua população. A média geral é de 5,2%.

“Esses novos números confirmam a tendência que havíamos identificado: cada vez mais pessoas e famílias buscam um animal de estimação para companhia, dar e receber afeto e atenção. No entanto, com o maior número de pessoas morando sozinhas, e em espaços menores, é patente o crescimento por animais cujo cuidado no dia a dia seja mais simples, ou que pelo menos exijam menos espaço. Por isso esse crescimento dos felinos, principalmente em cidades maiores”, analisa o vice-presidente de Comércio e Serviços do Instituto Pet Brasil, Nelo Marraccini.

O levantamento também mapeou onde estão os pets por Estado e regiões do Brasil. Em 2018, a maior concentração de animais de estimação esteve na região Sudeste, com 47,4%. Em seguida está o Nordeste com 21,4%; Sul 17,6%; Centro-Oeste com 7,2% e Norte com 6,3%.

O motivo é a menor densidade populacional nesses Estados quando comparados aos Estados de outras regiões do país.

A densidade populacional é fator determinante para a população pet. Mais de um quarto dos pets brasileiros estão em São Paulo. Os Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro aparecem em segundo e terceiro com a maior concentração, com 10,1% e 8,8%, respectivamente.

 

Espécies em cada Estado do país

Também é possível traçar um perfil da concentração de animais por unidade e por categoria, entre cães, gatos, aves e peixes. A maior concentração de gatos no país está nos Estados de São Paulo (21,6%), Rio de Janeiro (9,1%), Minas Gerais (7,2%) e Rio Grande do Sul (7,2%). Em relação aos cães, nota-se maior representatividade nos Estados de São Paulo (24,5%) e Minas Gerais (10,0%). O mesmo ocorre na concentração de aves, que também é maior nesses Estados. A maior concentração de peixes ocorre em São Paulo (47,1%), Santa Catarina (9,8%) e Minas Gerais (9%).

“Os novos dados irão auxiliar o setor na programação de ações e oferta de produtos para cada tipo de animal de estimação e também para uma expansão mais pormenorizada de toda a cadeia de varejo. Entendemos que a partir dessa inteligência de mercado será possível também suprir melhor pet shops, supermercados e clínicas veterinárias. Esse perfil também permite que os empreendedores tenham bons insights sobre onde é possível achar demandas ocultas para novos mercados”, comenta Marracini.

 

 

Comentários
Carregando...