A Copa do Mundo e os cuidados com os pets4 min para ler

Dicas para preservar os animais de estimação durante as comemorações que acompanham os jogos do maior torneio de futebol do mundo.

Cães têm uma audição aproximadamente seis vezes maior do que a de humanos, portanto fogos de artifício ou semelhantes, que são muito comuns em datas festivas, como a Copa, são verdadeiras torturas auditivas para eles.

O melhor para fazer nessas ocasiões é preservar o pet, colocando-o em um local onde conseguimos amenizar o seu sofrimento. Isso significa deixá-lo onde o barulho é menor, como um quarto, por exemplo, ou um lugar aconchegante que tenha o cheiro do tutor ou feromônios sintéticos que encontramos à venda no mercado pet. Uma toca onde o cão possa se acomodar é outro refúgio que certamente auxiliará nesta questão.

Alguns cães, quando filhotes, podem desenvolver traumas ou até mesmo pânico quando expostos ao barulho estrondoso dos fogos. Alguns, inclusive, desenvolvem traumas e fobias seriíssimas que permanecem por toda a vida.

Acompanhe as demais dicas e ajude o amigo de quatro patas a ter mais qualidade de vida e bem-estar nesta e em outras ocasiões festivas.

 

Alimentos

Não são só os barulhos os problemas de eventos desse porte. A interação do bichinho com os convidados em casa também deve ser supervisionada, pois sempre tem aquela pessoa que dá ao amigo peludo um pedaço de alguma guloseima.

Por essa razão, convém alertar as visitas de que o pet não pode receber tais alimentos, pois muitos deles são extremamente tóxicos. Alguns, em grande quantidade, podem levar o animal à morte por envenenamento.

Os exemplos mais comuns de alimentos proibidos são: chocolate, uva passa, doces, alguns ossos, como os de galinha, entre outros. Além do risco, em épocas agitadas de comemoração é mais difícil achar plantão veterinário, então garanta a segurança do animal.

 

Segurança

Alguns animais que vivem em casas podem ficar tão apavorados sozinhos com tais barulhos que se espremem em grades e janelas pelas quais geralmente não passariam ou até mesmo saltam de portões altíssimos que têm pontas ou vidros.

Além do risco de se machucarem, eles podem fugir. Por este motivo também é que o ambiente no qual o pet permanecerá durante as festas deve ser seguro para que não haja acidentes ou fugas, além de conter tocas para que ele fique mais confortável e com maior sensação de proteção. É importante deixá-lo à vontade para que se esconda, caso queira.

 

Festas

Famílias que costumam fazer grandes festas, com muitas pessoas, devem tomar o cuidado de não esquecer o cão do lado de fora da casa quando forem receber os convidados. Na empolgação da chegada das visitas, muitos esquecem que o cachorro também adora recebê-las e pode escapar ou ser trancado para fora por acidente.

Para prevenir esse tipo de situação, deixe o portão trancado e acompanhe atentamente a entrada e a saída de sua casa. Se durante a festa o tutor não puder ficar de olho em seu cãozinho, recomendo que o deixe em um lugar da residência em que ele se sinta seguro e confortável ou em um hotelzinho de confiança.

Festas são ótimas! E com nossos pets junto, seguros e confortáveis são melhores ainda.

Muitas vezes, durante a Copa, as pessoas, por estarem felizes e excitadas, podem fazer alguns movimentos ou ter reações exageradas , que podem soar como uma ameaça ao cão. Assim, ele pode reagir em defesa da família com agressividade, mesmo que esse não seja o comportamento padrão dele.

Cuidado com o copo. Alguns cães adoram tomar bebidas alcoólicas e uma distração sua, ao deixar o copo perdido e ao alcance deles, pode levá-los ao coma alcoólico. Essa substância no metabolismo do cão pode provocar náuseas, tonturas e vômito. Se mesmo tomando cuidado isso acontecer, procure atendimento veterinário o mais breve possível.

 

Plaquinha de identificação

É muito importante manter o pet com uma plaquinha de identificação em uma coleira com o nome dele e os seus contatos, principalmente se o pet estiver em lugares agitados e movimentados como festas. Em caso de perda ou fuga, a coleira facilitará a identificação do tutor do animal.

 

Prevenir é melhor do que remediar

Existem muitas precauções que podemos tomar em relação ao pet, mas a melhor delas é a prevenção. Treinar e dessensibilizar o cão para barulhos e movimentos relacionando-os com algo positivo, como petiscos ou brincadeiras, é muito bom.

Nem sempre é fácil conduzir esses tipos de treinos, que muitas vezes requerem a presença de um profissional em adestramento ou comportamento animal.

Agora, não esqueça de colocar uma roupinha e enfeites como laços e gravatas da cor do Brasil para as comemorações, mas sem deixá-lo desconfortável, hein? Segurança e bem-estar em primeiro lugar!

Tiago Mesquita é franqueado e adestrador da Cão Cidadão.

 

 

 

Comentários
Carregando...