Carnaval – Os cuidados com os pets5 min para ler

Como em todas as datas de festas, é necessário orientar os tutores sobre os cuidados com seus pets.

Independentemente se vão viajar ou se ficarão pela cidade e curtir a folia é preciso lembrar que mudanças afetam bastante os bichinhos.

 

Curtir a folia

Muitas pessoas estão cada vez mais incluindo os cães na rotina do dia a dia, como ir ao shopping, almoçar, jantar e até em bares. No carnaval não é diferente e, hoje em dia, temos até alguns bloquinhos específicos para eles, porém é importante prestarmos atenção em alguns pontos antes de levar o amigo para aproveitar o clima de festa.

Se no dia estiver muito sol, o asfalto quente pode queimar as patinhas dos pets. Para evitar isso devemos escolher bloquinhos e passeios até 10 horas ou após as 16h e testar com os nossos próprios pés ou mãos a temperatura do chão.

Se não conseguirmos aguentar 10 segundos com os pés descalços ou com as mãos no asfalto, significa que o chão ainda está muito quente e pode ocasionar queimaduras. Devemos também lembrar de levar uma garrafa com água fresca e oferecer a ele de tempos em tempos.

Como normalmente os bloquinhos são bem cheios, com todos os tipos de cães, é imprescindível usar a coleira com identificação e manter o animal preso na guia (que é um equipamento de segurança para os nossos e para os outros cães). Em um ambiente com tantos cães e com tanta energia, é muito fácil haver desentendimentos e estranhamentos entre eles, e é com a guia que conseguimos impedir que algo mais grave aconteça.

Se forem frequentar bloquinhos não específicos para os pets, a atenção deve ser redobrada, prestando atenção nas outras pessoas, mantendo um pouco distância da aglomeração – para o cão não ser pisado ou empurrado sem querer – e prestando mais atenção no chão, pois pode ter garrafas quebradas ou algo que possa machucar as patinhas deles.

Tomando alguns cuidados, podemos curtir muito a folia com os nossos pets e ter a certeza de que com segurança e cuidado eles também vão adorar curtir o carnaval!

 

Relaxar

Quem não é da folia, muitas vezes escolhe sair da cidade e ir descansar em sítios e em chácaras, e (mesmo sem o agito) alguns cuidados com os pets também são necessários. Mantenha as vacinas dele sempre em dia, mas lembre-se de que é fundamental ter a recomendação do veterinário antes da viagem. Ele irá lhe orientar não apenas com isso, mas com a prevenção de pulgas e carrapatos, entre outros problemas comuns.

Em casos de sítios devemos nos atentar para outros animais que possam aparecer, como cobras, sapos e porcos-espinhos. Essas espécies podem machucar os nossos cães que, curiosos, talvez queiram se aproximar, brincar ou até mesmo atacar. É muito importante também saber onde encontrar um veterinário mais próximo em casos de emergência. Muitas vezes a rapidez no atendimento é primordial.

Em casos de piscinas, devemos apresentá-las aos poucos [e com cuidado]. Aproxime o amigo do local primeiramente na guia e deixe-o descobrir o que é aquela “tigela” enorme de água. Muitos cães amam água e pulam direto na piscina, mas antes de deixar que eles entrem sozinhos, temos que ter a certeza de que eles sabem sair dela.

 

Saindo da piscina

  1. Coloque o cão dentro da água (no colo ou por meio de uma escada), vá com ele até o meio da piscina e depois solte-o. Outra pessoa, já na parte de fora, chama o cão em sua direção e quem está dentro vai acompanhando os avanços e garantindo a segurança do amigo.
  2. O cão deve tentar e aprender a sair da piscina sozinho, ou seja, ele precisa saber para que lado nadar ou como subir a escada e, dessa maneira, ficamos um pouco mais tranquilos em deixá-los soltos e curtindo junto com a família.
  3. De qualquer forma, é muito importante que a piscina tenha uma rede de proteção ou que o cão não tenha acesso a ela quando não houver ninguém por perto. Queremos sempre que eles se divirtam, mas com segurança!

 

Curtir em casa

É comum também muitas festas em casa, já que são muitos dias de folga. Churrasco e cerveja sempre estão inclusos nessa folia, principalmente se tiver aquele solzão. E claro que os nossos pets estão sempre juntinhos de nós curtindo tudo.

Ao recepcionar os convidados, é importante sempre tomar cuidado para que o cão não fuja para a rua ou para o hall do elevador. Muitos amam receber visitas e quando ficam superanimados para recepcionar todo mundo podem acabar fugindo.

Já houveram casos de cães que entraram no elevador sozinhos, foram parar na garagem e acabaram fugindo, então, mesmo que você more em apartamento fique atento!

Alguns alimentos podem fazer mal aos pets, como a cebola, que se ingerida por eles pode ser fatal. Carnes com muito sal também podem fazer mal ao seu bichinho, portanto, fique atento com o que o cão ingere ou deixe algumas comidas fora do alcance dele.

Durante as festas, normalmente há muito barulho, música alta e de vez em quando até fogos. Para cães sensíveis a barulhos, medrosos, inseguros, idosos ou filhotes tem que redobrar a atenção e tentar deixá-los o mais confortáveis possível. Manter-se por perto e deixar que ele se isole do barulho pode ajudá-lo a passar por essas situações de forma mais tranquila.

Se ele não gosta de aglomerações, barulhos ou de outros animais muito perto é interessante evitar essas situações ou até mesmo fazer treinos com recompensas para o animal ir se acostumando antes.

Lembrando que esses treinos podem demorar para evoluir e surtir efeito, dependendo do nível de medo do cão, então, precisamos iniciar esses treinamentos muito tempo antes de expor os cães a essas situações.

Tomando alguns cuidados e nos prevenindo podemos aproveitar muito esse carnaval ao lado dos nossos pets, que também irão curtir muito fazer parte dessa folia toda!

 

Priscila Fadelli, franqueada e adestradora da Cão Cidadão

 

 

 

 

Comentários
Carregando...