Um mercado que não vê crise, se trabalhado com estratégia

Donos de amor e atenção de milhares de pessoas, os pets representam um dos maiores mercados brasileiros.

De acordo com a Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), o mercado pet no Brasil já é o segundo maior do planeta – perdendo apenas para os EUA, e o terceiro em população total de aves, cães e gatos. Isso significa dizer que o Brasil detém o segundo maior faturamento no mundo. Isso se deve pela ampliação do fator emocional que une tutores ou “pais” aos pets, que deixaram de serem apenas animais para serem integrantes da família e faz com que os gastos com eles não sejam a primeira — e quase sempre nem a segunda ou terceira — opção quando a ideia é cortar gastos.

Em 2019 vimos muitos modelos de negócios novos. Além de opções mais tradicionais, como as pet shops e clínica veterinária, o mercado se abre também para serviços voltados para um público mais exigente, que não mede esforços para agradar o seu animal de estimação. Embora o mercado esteja muito aquecido, quem empreendeu em 2019 precisou investir em inovação, já que em alguns segmentos, como o de pet shops, a concorrência é alta, e em qualificação e diferenciação, uma vez que o público, embora disposto a gastar, é bastante exigente com aquilo que coloca à disposição dos seus “filhos”.

Sendo assim, este ano está sendo muito promissor para quem investiu em longevidade, qualidade de vida e bem-estar animal. Os tutores estão cada vez com menos tempo para ficar em casa acompanhando a vida dos pets e com a humanização dos animais, eles estão adoecendo mais e sendo acometidos pelas mesmas doenças que nós, humanos. Serviços como day care, pet sitter e dog walker tiveram grande destaque e desmembramentos nos serviços ofertados pelas clínicas veterinárias como a abertura para tratamentos alternativos como acupuntura, florais de Bach, reiki, ioga e massagens fitoterápicas (sessões de relaxamento) também ganharam muito espaço no mercado, conquistando o coração dos tutores que fazem de tudo para que seus “filhos” tenham uma boa experiência no tempo em que estão juntos.

Prevenção de doenças também foi a ação da vez em serviços veterinários. E sobre produtos, as marcas que souberam explorar causas como a sustentabilidade na prática, inovando com produtos de formulação verde, veganos e que não agridem o meio ambiente ganharam pontos para quem pensa no futuro das próximas gerações e na preservação do mundo em que vivemos. Esses são apenas alguns exemplos, mas tem uma imensidão de produtos e serviços que surgiram pelo novo comportamento dos consumidores.

Os resultados do mercado pet como um todo estimulam dezenas de novos negócios em torno dele. São tão diversos quanto hotéis, hospitais, empresas de assessoria para quem quer viajar com seus pets de avião e aplicativos que conectam donos de animais a pessoas que queiram hospedá-los, passando por empresas de alimentação natural e mais saudável, planos de saúde e até crematório. Mas não posso deixar de salientar que para qualquer modelo de negócio que for criado, independente do nicho de atuação, deve ser planejado previamente, com todas as análises de viabilidade financeira, concorrência e referências para você ter de modelo. Empreender sem planejamento ou não reinventar/remodelar o seu negócio ao longo do tempo é um caminho com destino certo: o fracasso. Portanto, planeje, revise, reinvente, atualize e qualifique constantemente o seu empreendimento para que o sucesso seja uma constante em sua vida.

Kaká Cerutti é mentora estrategista de marcas, professora, palestrante, empreendedora e gestora de marketing da Empóriopet.

 

 

 

Comentários
Carregando...