Faça diferente o que todos fazem igual5 min para ler

Coisas entediantes rapidamente se tornam invisíveis. E o mundo está cheio de coisas entediantes...

Um dos assuntos que mais tenho sido solicitada para abordar nos programas semanais do Alô, Empóriopet!, que faço todas as quartas-feiras pela manhã via Facebook, é sobre “como melhorar as vendas”, “como inovar na crise”, “como superar desafios”, “como vender com mais qualidade e rentabilidade”. É unânime que todas as empresas queiram fazer o seu negócio prosperar diante da crise e percebem que outros empreendedores de outras áreas crescendo e, principalmente, seus concorrentes estão ampliando participação no mercado e ele está estagnado!

Não consegue mudar o seu cenário mesmo tendo consciência que vem procurando fazer mais para vender mais. Porém, esse empreendedor que não consegue crescimento para o seu negócio não percebe que apenas um detalhe está sendo o principal elemento da sua estagnação: ele está fazendo igual ao que todos fazem querendo obter resultados diferentes. Fez sentido pra você?

Vamos entrar num outro ponto: há alguns anos atrás, com a escassez de opções e o excesso de tempo disponível dos consumidores, as empresas não se preocupavam em criar algo notável, bastava empurrar os seus produtos de massa em um veículo de massa como a televisão, que o lucro era certo. Essa era a receita que garantia o sucesso em suas vendas. E hoje como funciona?! O cenário inverteu! As opções de compra são tão excessivas e nosso tempo está tão escasso que os consumidores não conseguem acompanhar tanta oferta!

E em contrapartida, as empresas não conseguem fazer a sua mensagem circular da maneira que querem e precisam, porque os consumidores estão saturados e se recusam a prestar atenção naquilo que não gera valor, impacta de maneira significante a sua vida ou propicia algum benefício relevante. Para fazer suas escolhas, em vez de analisarem anúncios na televisão, os clientes recorrem a seus fornecedores ou a seu network de amigos esclarecidos  para receberem indicações. Sendo assim, o consumidor atual somente dedicará a sua atenção ao seu negócio/produto/serviço, se o mesmo for excepcional, novo e interessante, pois o que é notável se propaga, enquanto negócios/produtos/serviços semelhantes ou iguais padecerão no esquecimento.

É necessário ser uma “vaca roxa”. Você já viu uma? Se visse, provavelmente falaria para alguém, correto? É disso que venho falando muito nos últimos anos depois que li o livro “A Vaca Roxa: como transformar sua empresa e ganhar o jogo fazendo o inusitado” de Seth Godin, que publicou esse título em 2003 – inclusive recomendo a leitura, imprescindível. Neste livro, o autor bate muito na tecla da estratégia máxima da diferenciação.

Um produto/serviço ou empresa ser uma “vaca roxa” é aquele que se torna único e notável diante de tantos outros produtos/serviços ou empresas iguais no mercado. É algo que cativa a atenção do cliente a ponto de ele não lhe soltar e falar do seu negócio, produto/serviço pra todos de seus círculos de convivência, tornando-se multiplicador de valor “gratuito” do seu negócio e seu embaixador. Algo notável merece ser mencionado, merece a atenção de todas as pessoas. Coisas entediantes rapidamente se tornam invisíveis. E o mundo está cheio de coisas entediantes – vacas marrons – é por isso que tão poucas pessoas prestam atenção.

Existem inúmeras maneiras de você criar a sua “vaca roxa”: criando um novo serviço, sendo exclusivo na venda de algum produto, trazendo alguma inovação para dentro da sua empresa, encontrando uma “persona” ideal com dores bem específicas e que somente você pode ajudá-la a resolver seus problemas e se comunicando assertivamente com ela, por exemplo. São sugestões diferentes em si, mas alguns pontos entre elas as une: exclusividade, notoriedade, singularidade, originalidade, ineditismo, diferenciação.

Um negócio ou produto/serviço notável é aquele que faz algo que seduz as pessoas a pararem de fazer o que elas estão fazendo, que atraia as pessoas a lerem o que ele publica e que façam com que elas falem sobre você com os colegas/amigos/família deles. É aquele negócio que é tão diferente e único que toda vez que ele precisar de um serviço que você presta, por exemplo, lembrará de você ou da sua empresa porque para ele agora você é uma referência para a solução que ele precisa. E que passará a recomendar! Então, um primeiro passo que eu indico é a produção de conteúdo autêntico para mídias sociais. É um artigo criado para o blog do seu site escrito por você, é um vídeo fazendo uma entrevista com um cliente seu quando foi buscar seu pet na loja ou com um veterinário nário, dando dicas importantes de melhor convivência entre humanos e pets.

Sua mensagem deve ser diferente, boa o suficiente para que os que o assistem tenham vontade de espalhar o objeto do seu trabalho. É importante também “pensar pequeno”: não pense no mercado de massa. Não fale pra todo mundo, converse com a sua persona, aquele público que realmente se interesse por seu produto/serviço e entregue valor diferenciado que lhe traga engajamento. E minha última dica é: seja o líder e não a cópia do líder. Você nunca será uma Vaca Roxa se decidir apenas seguir as estratégias que o líder de mercado utiliza. Copiar o líder o levará apenas a lugares que ele já foi. Quando você tem um produto/serviço próximo ao dele, ele já estará pensando em outro mais notável para se diferenciar dos demais. Abraço e até o próximo artigo!

Kaká Cerutti é neurocoach, palestrante e gestora de marketing e comunicação da empresa Empóriopet.

sac@emporiopet.ind.br

www.emporiopet.ind.br

 

 

 

Comentários
Carregando...