Como avaliar o seu banho e tosa3 min para ler

Este setor é lucrativo para o seu negócio?

Acredito que você já tenha se perguntado: Vale a pena manter o meu “banho e tosa”? Pois esta não é uma dúvida só sua, que possuem hoje esta atividade agregada aos seus serviços.

Para que você possa obter uma resposta com mais exatidão, é necessário analisar alguns fatores que serão fundamentais para tal avaliação. Você precisa entender se a margem de lucro aplicada está condizente com a sua operação e então conseguirá determinar se este setor de sua empresa está sendo lucrativo para o seu bolso ou se na verdade está lhe trazendo grandes prejuízos.

Conhecer o seu ponto de equilíbrio é o pontapé inicial para uma avaliação mais correta, ou seja, em que momento sua empresa fica no “zero a zero”, melhor dizendo, qual o faturamento mínimo necessário para cobrir seus custos e despesas fixas e variáveis? Vale ressaltar que tudo deve ser contabilizado, desde o salário bruto do seu tosador, encargos, terceirização para higienização de toalhas ou até mesmo aquele lacinho que utiliza para finalizar um banho ou uma tosa. Após um rigoroso levantamento de todos os custos e despesas que necessita para executar tais atividades, você chegará a um numerário necessário para manter este setor.

Vamos entrar no fator principal desta avaliação, pois é aqui que muitas empresas acabam cometendo erros em sua gestão, não sendo possível reverter o cenário negativo com o decorrer do tempo.

Conhecendo todos os caminhos até aqui apresentados, agora teremos que avançar realizando cálculos, isso mesmo! Fazer “continha” é e sempre será necessário para manter a saúde financeira do seu negócio sob controle.

Vamos utilizar como exemplo uma pet shop que oferece serviços de banho e tosa e que este setor gera um custo mínimo de R$ 14.000,00 para sua empresa. Desta forma, temos como base que, para pagar todas as suas contas, este setor deve faturar no mínimo o valor mencionado. O chamado “Ponto de Equilíbrio do Negócio”. Então vem a grande pergunta, qual deverá ser o preço mínimo do seu serviço? Mas para obter esta resposta, você precisa ter o controle de quantos atendimentos em média no mês são realizados em seu estabelecimento. Lembra que dissemos que fazer “continha” é e sempre será necessário? Pois é, não existe uma boa gestão sem a realização da matemática.

Digamos que esta pet shop que estamos utilizando como exemplo faça em média 400 atendimentos por mês. Assim, podemos dividir o valor mínimo necessário para cobrir os custos e despesas mencionados anteriormente pelo número de atendimentos médios realizados durante o mês. Após a realização desta conta, teremos um valor de R$ 35,00. Pronto! Este é o valor mínimo que você deverá repassar ao seu cliente para alcançar o seu Ponto de Equilíbrio, utilizando-se do português mais claro: ficar no “zero a zero”. A partir daí, passe a estabelecer sua margem de lucro, ou seja, quanto irá cobrar além destes R$ 35,00 para começar a gerar seus ganhos.

O diretor da Compta Pet, Marcelo Silva, ressalta a necessidade da realização destes cálculos em seu dia a dia.

“É necessário a realização de cálculos para que você possa obter um ponto de partida. Hoje existem inúmeros estabelecimentos aplicando valores totalmente fora de sua realidade, sem conhecer o seu ponto de equilíbrio, atuando sem competitividade e muitas vezes pagando para trabalhar. Obter este ponto de partida lhe dá maior segurança para que evite decisões impulsivas, como por exemplo direcionar recursos financeiros da clínica veterinária ou mesmo da loja para cobrir despesas do banho e tosa, comprometendo todos os setores da empresa”, afirma Marcelo Silva.

 

 

Comentários
Carregando...