Administração Pet – Erre mais!

No mercado pet parece que existe um medo terrível de se aventurar em coisas novas. Muita gente prefere o “café com leite” ao champanhe

Digo que isso é fruto do medo de errar. Óbvio que erros em escala podem quebrar uma empresa, mas não fazer nada também é um erro; e dos graves. Já comentei sobre PNL e seus benefícios em outra matéria e aqui quero reafirmar a importância de mudança no negócio.

Pessoalmente, já tive diversas experiências profissionais frustrantes porque queria propor caminhos aos meus chefes à época e eles se sentiram inseguros por alguma razão ou mesmo preguiçosos para abraçar uma ideia e continuaram usando um caminho antigo, ignorando novas possibilidades. Como resultado, o trabalho era maçante e, em alguns casos, mudei de emprego porque não aguentava aquela rotina travada.

Nosso mercado anda meio sem graça, muito parecido. Poucos são os que ousam pagar o preço, seja de ter que mudar a estratégia e amargar alguma perda, seja de colher os frutos pela boa escolha. O progresso é uma lei natural. Nascemos, crescemos e morremos.

Há uma grande diferença entre fazer tudo igual para aperfeiçoar e obter melhores resultados (treinar) e fazer igual por falta de criatividade, coragem ou energia. Não basta copiar cases de sucesso, tenha coragem para estudá-los e criar a sua versão, se o caminho usado lhe servir.

Daí uma loja muda o tipo de móveis e um monte de gente copia… Mudam as cores e outros copiam… Será que essas cópias trarão resultado? Será que apenas copiar sem saber o que está por trás das ações trará o mesmo resultado?

Não tenha medo de errar, procure errar mais. É possível dimensionar seus limites de erro. Aí temos que falar daquele monstro horrível chamado planejamento. Aquela criatura que afugenta uma multidão quando tem seu nome pronunciado. Pois é, esse cara irá lhe ajudar a criar um cenário que pode ser estudado e lhe ofereça parâmetros, limites e condições para seus erros.

O mercado pet sofre da síndrome da pobreza. Todo mundo quer ganhar um monte de dinheiro num passe de mágica, porém acha muito caro uma caminha de 200,00… Faça-me um favor! Você quer ganhar vendendo itens de 5,00? Ok, calcule quantos itens precisa para obter o resultado desejado e corra atrás. Agora, não acredite que o esforço será menor pelo simples fato do item ser mais barato, lembre-se que precisa de uma grande quantidade para empatar o jogo.

Essa síndrome aparece nos preços dos produtos (que nem sempre são calculados com critério), serviços e na escolha da curadoria de produtos. O que tem de gente que prefere cobrar menos do que os outros no ímpeto de quebrar o concorrente não está escrito.

Usando um termo comum nos dias de hoje: “Deixando de lado a pobrice”, quais ações efetivas você pode colocar em curso para melhorar seu resultado, lembrando que faturar mais não significa melhor resultado, não é?

Então, quais erros você pode cometer dentro de um risco calculado? Quanto pode investir nesses erros? Quais seriam os resultados positivos para balancear a conta?

Você prefere que a sua empresa seja vista como um local que está em pleno movimento, antenado e atualizado ou como um lugar que sempre está igual, intocado?

Naturalmente, seu público-alvo é peça-chave nesse programa de mudanças e “erros”, mas, até gente de mais idade gosta de novidades. Nossa geração parece ter o benefício de conseguir chegar em melhor estado nas idades mais avançadas. Veja quantos idosos andam com smartphone nas mãos.

Não se esqueça que as novidades atraem um público também e você poderá ter surpresas agradáveis com as mudanças e seus erros. Um número enorme de pessoas quer encontrar fórmulas mágicas de sucesso em livros, filmes, cursos etc., mas se esquece que talvez o autor tenha tido sucesso em outro cenário e tenha encarado o medo de errar para chegar onde chegou.

A fórmula do sucesso passa pelo erro. Ninguém nasce sabendo tudo e podemos aprender a cada dia, em qualquer lugar que estivermos. Diversos personagens e autores que conseguiram proezas de gestão, produtos, dinheiro e assim por diante podem ter errado várias vezes e até mesmo falido mais de uma vez; muito comum nas histórias de gente que conseguiu atingir um patamar diferenciado.

Errar é parte do processo de aprendizado e aprimoramento. Rumos e decisões ousadas ou diferentes carregam o peso do erro eminente mesmo tendo um planejamento, porque podem ser suscetíveis a influências externas incontroláveis, portanto não tenha medo de errar. Ao contrário, planeje para errar.

Um abraço e bons negócios!

Jefferson Braga é fundador da PetCon$ult, consultor sênior com formação em Administração e Pós-graduações em Administração Financeira e Controladoria. Ministra palestras, treinamentos, coaching e aconselhamento empresarial pelo Brasil, atuando desde 2000 como consultor do segmento

jefferson@petconsult.com.br

www.petconsult.com.br

Facebook: PetConsult Consultoria

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...