Administração – Feche Sua Empresa e Seja Feliz

Essa é uma recomendação que serve para muita gente. Tenho certeza!

Levar uma vida corrida, cheia de atividades e sofrer para faturar pode significar que as coisas não estão fazendo sentido e isso é um sintoma importante que merece atenção.

O trabalho de consultoria em alguns casos parece com a atividade médica. Examinar, analisar e diagnosticar. Parte das vezes os pacientes estão em fase crítica…

Noto que existe um movimento “crescente” de pessoas que estão desgostosas com suas empresas e não reagem aos acontecimentos diários. Não é fácil levantar cedo todos os dias e se dedicar a algo que não frutifica como esperamos; como em grande parte da nossa vida, tudo gira em torno de expectativas.

É preciso entender se as expectativas geradas foram muito elevadas ou se foram razoáveis e faltou acontecer “algo” para a coisa decolar. Uma análise fria e objetiva dos propósitos e ações ajuda bastante a clarear a situação e oferece oportunidade para rever pontos importantes. Conceituar felicidade é algo complicado quando partimos da premissa que cada indivíduo identifica esse estado a partir de diferentes coisas, valores e situações. Entretanto, seria legal pensar que você precisa ser feliz no seu negócio para que tenha energia suficiente para manter a roda em movimento.

Dito isto, vamos para a parte do mundo que nos cerca, aquele que chega a ser cruel… Quando tocamos uma empresa, investimos muito mais do que dinheiro no projeto, investimos tempo e até mesmo a necessidade de ter que dar certo para ganhar o pão de cada dia.

Tem sempre gente balançando no mercado pet. É incrível, mas verdade. Passa o tempo e tem empresas que não conseguem sair da corda bamba. Aqui pode encaixar o tema dessa matéria. Quem não consegue ou não quer mais investir seja o que for, pode vender a empresa e buscar outros mares para navegar. É preciso desapegar, como diz o outro, mudar de estação e explorar novos caminhos.[userpro_private]

Dia desses concluí um estudo de uma empresa que tinha crescido mais de 25% no primeiro semestre deste ano. Muito significativo sem dúvida, porém estava exigindo cuidados que ultrapassavam o que seus investidores pretendiam e, como em diversos casos, eu sou questionado sobre o que faria se estivesse no lugar dessas pessoas.

Também sei que não é simples vender algo que você sabe onde está cada preguinho, como foi pintar, trocar os móveis e até mesmo consolidar a equipe depois de várias mudanças. Isso tem valor sentimental apenas para você.

Por mais duro que seja admitir, essa é a verdade, portanto, se o seu negócio não consegue atingir o patamar que deseja é importante avaliar se vale manter o esforço ou passar para frente. Digo mais, pode ser que outro local lhe traga sucesso. Às vezes não é a questão pura do gestor, mas do lugar onde a empresa funciona.

Agora já que falamos no gestor, não é possível deixar passar em brancas nuvens comentários sobre a importância desse papel no sucesso da empresa. Como sempre, a dedicação em conjunto com o preparo, tão ignorado, infelizmente, é  o que traz resultados. Fico pasmo ao observar o comportamento das pessoas no nosso mercado. Enquanto uns poucos estão antenados e buscando novidades, atualização pessoal e para a equipe, outros simplesmente rezam a mesma cartilha todos os dias esperando resultados diferentes.

O medo paralisante quebra a empresa enquanto o medo de ficar para trás gera um movimento espetacular. É preciso dizer que quem está sempre buscando algo e se mantém em movimento também está sujeito a errar, contudo pode diminuir o efeito dos seus erros e consegue superar sem traumas os desvios, porque sabe que isso faz parte do aprendizado.

Na escola erramos para aprender e não estamos isentos de passar pela mesma situação no mundo empresarial apesar dos estragos causados. Ter medo de errar e não fazer nada para melhorar é acionar uma bomba-relógio com efeitos devastadores.

A falta de ânimo para seguir, para se manter atualizado e para sorrir diariamente aos seus clientes precisa ser ponderada a tempo de permitir escolher seguir ou mudar enquanto o negócio ainda permite ser vendido e ter continuidade.

Já vi muitos pontos de vendas que eram horríveis serem reformulados e ganharem vida de tal forma, que chegaram a ser notados como se fosse algo novo no local. Tenha em mente que você não é obrigado a se submeter ao que não lhe faz bem, aliás, só trará resultados negativos para ambos.

Montar um negócio é um ato de coragem, sem dúvida nenhuma, assim como assumir que chegou ao seu limite e precisa de outros ares. Talvez seja mais difícil pensar em mudar o cenário.

Pondere quais os resultados que gostaria ou precisa e qual o potencial de realização deles para que seja possível medir o esforço a ser empregado e decida se mantém a empresa em funcionamento ou se abrirá a chance de caminhar em outros lugares.

Apesar dos pesares, sabemos que o mercado pet é um manancial de oportunidades e está na fase inicial de crescimento e longe da maturidade ainda, diferente de outros mercados. A profissionalização e a competição tendem a ser maiores e mais ferozes com o passar do tempo. Se isso lhe incomoda, já é um bom motivo para pensar no assunto.

Fechar a sua empresa pode significar parar as atividades ou fechar sua empresa para a estagnação, para o marasmo. Escolha qual fechamento prefere e siga em frente, mas não deixe de escolher qual opção quer “fechar”! Um abraço e bons negócios![/userpro_private]

Jefferson Braga é fundador da PetCon$ult, coach e consultor sênior com formação em Administração e pós-graduações em Administração Financeira e Controladoria. Ministra palestras, treinamentos e coaching pelo Brasil, atuando desde 2000 como consultor do segmento. Facebook (PetConsult Consultoria) jefferson@petconsult.com.br      www.petconsult.com.br

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...